segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2012

Poemas dos cinco sentidos

Poema para ouvir:
Os sons e as palavras  



Vibram os sons pelo ar,
cantam nos nossos ouvidos.
Vamos lá desencantar
palavras que são ruídos.

Pim,pim,pim,pinga a chuva,
chap,chap,chap,chapinha o pato,
zum,zum,zum,zumbe o mosquito,
miau,miau,miau,mia o gato.

Mu,mu,mu,muge a vaca,
piu,piu,piu,o pinto pia,
cá,cá,cacareja a franga,
chi,chi,chi,o rato chia.

Ron,ron,ron,ronrona a gata,
tlim,tlim,tlim,tilinta o sino,
tam,tam,tam,faz o tambor,
toca um i o violino.

Cu,cu,cu,o cuco canta,
ru,ru,ru,ruge o leão,
si,si,si,a cobra silva,
bom!,bom! ribomba o trovão.

Tau,tau,tau,levas tautau,
Su,su,o homem susurra,
ui,ui,uiva a ventania,
u,u,u, a fera urra.

Tró,tró,tró, lá vai a trote
o cavalo do Leote.
Op,op,op, mete a galope
quando, zás, zarpa o chicote.

Fecho os olhos, oiço os sons:
as palavras, os ruídos.
É como se o mundo entrasse
todo pelos meus ouvidos.

Luísa Ducla Soares       





Poema para saborear: 

Frutos  

Pêssegos, pêras, laranjas,
morangos, cerejas, figos,
maçãs, melão, melancia,
ó música de meus sentidos,
pura delícia da língua;

deixai-me agora falar
do fruto que me fascina,
pelo sabor, pela cor,
pelo aroma das sílabas:
tangerina, tangerina.





Poema para cheirar: 



Rosa



É uma rosa amarela.
Uma rosa de verão.
Sempre uma rosa em botão
estava posta à janela.
Quem mora naquela casa
certamente que sabia
quanto essa rosa em botão,
seja branca ou amarela,
perfuma todo o verão.

 Eugénio de Andrade

Poema para ver: 
Xadrez  

É branca a gata gatinha
É branca como farinha.

É preto o gato gatão
É preto como o carvão.

E os filhos, gatos gatinhos,
São todos aos quadradinhos.

Os quadradinhos branquinhos
Fazem lembrar mãe gatinha
Que é branca como a farinha.
Os quadradinhos pretinhos
Fazem lembrar pai gatão
Que é preto como carvão.

Se é branca a gata gatinha
E é preto o gato gatão,
Como é que são os gatinhos?

- Os gatinhos eles são,
São todos aos quadradinhos.


Sidónio Muralha


Sem comentários:

Enviar um comentário